Para Vocês...
O céu, as estrelas, o mar, e "só" um pedaço da lua. Porque a outra metade já é minha... (risos)!

22 de jun de 2012

Fotografia/Bia Medeiros

Todos os dias, de portas e janelas abertas ou fechadas, esse momento de grandiosidade vai EXISTIR! Independente da sua vontade e do seu estado de espírito; do seu amargor e da sua dor. Independente do que lhe aconteça, esse momento vai sempre existir. E mesmo que você não queira. E mesmo que todas as suas portas e janelas estejam fechadas com travas e cadeados, esses momentos, inevitavelmente, nunca deixarão de existir.
Vai existir da forma mais pura e simples. Da forma mais espontânea e encantadora. Vai existir na sua sensibilidade e delicadeza do seu olhar.
Vai existir, simplesmente por existir.
Mas você também pode enxergar. Basta querer! É simples...
Abra as suas portas e janelas...

Mara Thiers
17/06/2012

*Foto lindamente clicada pela minha amiga Beatriz Medeiros. A nossa belíssima artista-fotógrafa.

Martha Medeiros


Você se sente em casa dentro do seu corpo? Muitos não passam de hóspedes de si mesmos… Estar em paz é aceitar serenamente que você não tem munição suficiente para levar todos os seus planos adiante e não possui um exército que diga amém para todos os seus delírios. Você está só e é um sujeito heróico dentro do possível. Costuma ir à luta por um emprego, por um amor, por grana, por objetivos razoáveis e quando não dá certo, não dá. E quando erra, paciência, e quando acerta, oba, e quando está cansado, se recolhe, e quando está triste, chora. E quando está alegre, vibra, e quando enxerga longe, vai em frente, e quando a visão embaça, freia. E quando está sozinho, chama, e quando quer continuar sozinho, não chama. Primeiro passo para a paz: reconciliar-se consigo próprio. É o que a gente pode fazer de mais concreto, por mais abstrato que pareça.

Martha Medeiros

18 de abr de 2012

Palavras de Chico Xavier...


"Uma mágoa não é motivo pra outra mágoa. Uma lágrima não é motivo pra outra lágrima. Uma dor não é motivo pra outra dor. Só o riso, o amor e o prazer merecem revanche. O resto, mais que perda de tempo... é perda de vida."

Chico Xavier

Sobre o Barulho...

Foto/Internet

A vida é barulhenta, e o mundo está muito
populoso. Mas lutar contra o barulho não é a
maneira de se livrar dele; a maneira de se
livrar dele é aceitá-lo totalmente.


Quanto mais você lutar, mais nervoso ficará,
porque, quanto mais você lutar,
mais ele o pertubará.
Abra-se e aceite-o; o barulho também é parte
da vida. E, quando você começar a aceitá-lo,
ficará surpreso: ele não o pertubará mais.
A pertubação não vem do barulho, ela vem
de nossa atitude em relação a ele.

O barulho não é a pertubação, a atitude
é a pertubação.
Se você for antagonista a ele, ficará
pertubado; se você não for antagonista a ele,
não ficará pertubado.


E aonde você irá?
Aonde você for, algum tipo de barulho
fatalmente estará presente; o mundo inteiro
é barulhento. Mesmo que você possa encontrar
uma caverna no Himalaia e ficar lá, você perderá
a vida. O barulho não estará presente, mas todas
as possibilidades de crescimento que a vida torna
disponíveis também não estarão presentes, e logo
o silêncio parecerá monótono e morto.


Não estou dizendo para não desfrutar o silêncio.
Desfrute-o, mas saiba que o silêncio não é
contra o barulho. O silêncio pode existir no
barulho. Na verdade, quando ele existe no
barulho, somente então ele é o silêncio real.
O silêncio que você sente no Himalaia não é o
eu silêncio; ele pertence ao Himalaia.
Mas, se você puder sentir o silêncio no mercado
ou na feira, poderá ficar completamente
tranquilo e relaxado, ele é seu.
Então você tem o Himalaia em seu coração,
e isso é o que importa!

Osho

16 de jan de 2012

Agradecida, SEMPRE!


Estarei sempre agradecida e feliz com a minha mocidade e o viço do meu cérebro. Terei a pele enrugada, as pálpebras dos olhos caídos, e tantas outras coisas... Mas... Jamais terei oitenta ou cem anos na cabeça. Estarei sempre, com o frescor da juventude nos meus pensamentos e nas minhas ideias...

Lana Mara
16-01-2012

10 de jan de 2012

O Abraço

Imagem/Internet

"Mas o melhor do abraço não é a ideia dos braços facilitarem o encontro dos corpos. O melhor do abraço é a sutileza dele. A mística dele. A poesia. O segredo de literalmente aproximar um coração do outro para conversarem no silêncio que dá descanso à palavra. O silêncio onde tudo é dito sem que nenhuma letra precise se juntar à outra. O melhor do abraço é o charme de fazer com que a eternidade caiba em segundos. A mágica de possibilitar que duas pessoas visitem o céu no mesmo instante."

(Ana Jácomo)

5 de nov de 2011

Aaaiii como ando afastada do meu blog...
Acooorda, mulherr!!!

Voa...

Imagem/Internet

VOA...

Abre também a tua porta, abre...
Abre e deixa o vento entrar.
Deixa a brisa se instalar;
Deixa o corpo abençoar;
E as lágrimas poder secar.
Deixa...

Abre de vez a tua porta, abre...
Sem chaves e nem fronteiras.
Sem grades e nem cadeados;
Abre e deixa o sol entrar.
Deixa os raios te tocar;
Deixa o corpo enternecer,
E não te fazer adormecer.
Deixa...

Aceita a porção mágica do tempo...
O desenrolar dos dias e das horas.
O rumo de todos os mundos.
O vôo das grandes gaivotas.
Os pássaros voltam sim pros seus ninhos;
Mas só pra alimentar, e fazer voar.
E depois, um ciclo poder fechar.

Deixa então os ninhos dos passarinhos;
Não faz dele o teu ninho.
Faz do teu peito apenas abrigo e
a liberdade de todos os ventos;
Então voa... Desperta!

Abre um novo caminho.
É sempre um novo dia e um novo momento.
E aí, na mesma direção dos ventos,
Você vai poder se encontrar, sem mais nenhum tormento.

Lana Mara
10/10/2011

13 de ago de 2011

Violão Desafinado


Lembro de outrora...
E uma música ao fundo chega suave e toca os meus ouvidos. Aquela música que embalou tantos e tantos sonhos...
Há tempos que o vejo ali, encostado. Pego o violão e mexo em suas cordas. Cordas de um violão antigo e desafinado. O mesmo violão e as mesmas cordas de antes.
Procuro o tom certo, tento alinhar todas as notas musicais sem muito sucesso.
O tom continua fraco, minguado...
As notas continuam desiguais e totalmente desalinhadas; talvez, carcomido pela ação do tempo. Hoje, calado, solitário e triste ali está. O som dantes melodioso perdeu-se desde ontem. Perdeu-se no tempo. Desde a época das longas serenatas, onde o som sempre tão afinado e melodioso invadia as ruas num relampejo estridente, cintilando estrelas.
A sua música acalentava e encantava. E o dia sempre amanhecia terno; e as noites sempre cheias de vida. O Sol surgia tímido; às vezes forte. A noite adentrava exuberante no seu tom lilás trazendo o cheiro das flores. A Lua, encabulada, muitas vezes se achava encoberta pelas nuvens, mas, brilhante, ressurgia. Sempre!
Hoje, a música esquecida está. Os sons embaralhados e desarmônicos continuam.
Esse longo tempo encostado ficou acabrunhado e resumido a esquecidas notas musicais.
A uma limitada e velha música que se foi com o tempo...
Recostei o corpo numa cadeira e adormeci. Acordei no meio da noite com um som melodioso... Parecia-me próximo. Levantei ainda fatigada do mau jeito e, com muito esforço, acendi a luz; e de súbito, vejo um pássaro à minha janela. Fiquei alguns segundos estática e o coração aos pulos! O cantarolar que eu ouvia vinha mesmo daquele pássaro brilhante que mais parecia uma Fênix. Era pura luz! Eu fiquei fascinada! Ele voava lentamente e emitia um som harmonioso e tocante. Eu ouvia placidamente o seu coração. Eu podia sentir a sua respiração de tão próximo. Parecia querer me puxar até àquele violão. Pedia insistentemente. E era verdade, ele queria. Dei dois passos, e o que eu pude sentir, jamais sentirei. As cordas, antes frias e desordenadas, passaram a cantarolar o mais belo dos hinos. Uma das mais belas canções! Eu podia ouvir uma mistura de sons que penetrava profundamente o meu peito. Fora a mais bela emoção! Era a esperança renovada! Foi um momento único e indescritível.
Novamente, jamais sentirei!

Lana Mara Thiers
Um dia quando o sol se pôs...

"No Azul Sonhado"

No dia 20 de Julho de 2011 [no Crato-Ceará], foi comemorado a festa de lançamento do livro "No Azul Sonhado." Um livro escrito por vários autores [todos, caririenses]. E a convite de Socorro Moreira [ criadora do blog: http://catadoradeversos.blogspot.com/  e uma das idealizadoras desse belo projeto], eu tive o privilégio de fazer parte dessa obra verdadeiramente vibrante e poética!
Obrigada, Socorro!
Mara
“Eis aqui um outro fenômeno caririense produzidos em blogs da Internet, livro que congrega elenco de escritores da região do Cariri cearense, ou ligados ao seu meio de reconhecida tradição artístico-cultural. São pessoas somadas pelo gosto das letras e pela amizade, numa produção que reflete o espírito criativo desta época de tantos e recentes multimeios da comunicação eletrônica. Reunidos, pois, No Azul Sonhado, formam trabalho amplo de inovações, o que sumiria pelos dedos imediatas da virtude, não fosse o empenho da sua edição. Resta usufruir os resultados surpreendentes da feliz iniciativa.”

Emerson Monteiro

29 de jun de 2011

QUE PAÍS É ESSE???



Estou um tanto quanto descontente.
Descrente, irritada, pensativa, reflexiva...
Sem nenhuma expectativa.
Sem mais confiança, segurança, sem nenhuma ESPERANÇA!
Um tanto quanto desanimada, desnorteada, e totalmente enojada.
Ô “Carrada” de gente avacalhada!
Ô Cambada de sanguessugas! Solta o osso!
“QUE PAÍS É ESSE???”
Mara

5 de mai de 2011

deixa para lá...

Imagem/Internet

Escolho algumas letras e tento formar algumas frases;
Enrolo-me nas palavras; tropeço, atropelo...
Não vejo nenhum sentido.
Não consigo concluir pensamento algum;
Não tenho elementos...
Não tenho argumentos;
Deixa para lá...
Outro dia, hei de estar.

Mara Thiers

19 de abr de 2011

Apenas falo...



 Imagem/Internet


APENAS FALO...

Falo pra alguém... Ou pra ninguém.
Falo pro vazio ou pro infinito;
Falo por falar..., ou mesmo por sentir;
Pra poder desaguar.
Desabafar!
Falo sem emitir uma única palavra;
Sem escrever uma única linha;
Apenas falo com o pensamento.
Mesmo que seja um tormento.
Falo sem que haja ninguém pra ouvir;
Apenas falo pra eu poder sentir.
Pra eu poder ouvir meus próprios pensamentos;
Ou os meus lamentos...
Não interessa se não tem ninguém por perto;
Se não tem ninguém que seja tamanho esperto.
Mas incomoda...


Mara

11 de abr de 2011

Obrigada Liduzinha...

Acabei de entrar no meu blog; e lendo alguns comentários deixados nos meus escritos, um em particular me deixou bem emocionada! Pelo tamanho do carinho, simplicidade, e pela bela poesia dessa amiga que ainda não conheço pessoalmente, mas, que deixará de ser virtual, dentro dos próximos meses... Em breve, muito em breve...
Beijinhos Liduzinha, e muito obrigada!


Voa, linda sabiá.

Deus te deu o sorriso,
a simpatia, o doce olhar.
Te presenteou com a ternura
com a sensibilidade, com a competência,
e sobretudo com a sapiência.
Sei que possuis a humildade dos simples,
O olhar de uma menina...Voa, voa, linda sabiá.


Te adoruuuuuu...Bjins: Liduzinha.